domingo, 5 de abril de 2009

A cidade que não estava lá - Por Eliane Brum [ a matéria infeliz]

Ve ja Primeiro a Matéria na íntegra - VIDE LINK, POR FAVOR!!!!

Agora, "analisemos" a matéria do ponto de vista do portovelhense!

1. Oi, eu sou engenheiro agrônoma, estou ganhando horrores de dinheiro nessa cidade, talvez o dobro que estaria ganhando em Cuiabá. Mas levo meu filho a posto de Saúde e dependo de SUS.
ME POLPE! O Cara deve estar ganhando um salário muito acima do da média e vai levar o filho no posto de saúde ? Tudo bem, não digo que é mentira, mas até parece que ele não tinha 80 reais pra ir ali, no 9 de julho. Até parece também, Eliane Brum, que a situação do SUS no resto do país é ótima. Digitem no google "Cuiabá, calamidade, SUS". Pra ver se a pesquisa não vai ter resultado! [não justifica o nosso SUS ser ruim porque no resto do país também é, não quis dizer isso. em todo o país o SUS deveria funcionar, e bem, mas não é a realidade]
Outra, a filha pegou dengue supsotamente por causa das poças de água que cercam o lugar que moram. Só se esse mosquito for um Aedes Aegypt Ninja. Uma nova descoberta da ciência! Porque pra ele conseguir se reproduzir em poças de água no período de chuva!, só sendo ninja! Se ocê falasse de lixo amontoado, de pneus jogados pelas ruas, garrafas d'água. Mas Poça de água em período de chuva é complicado... E Digo, mesmo ! Nessa época aqui chove todo santo dia! Então, saibam, este é um aviso para a segurança da população portovelhense e recém chegados: Quanto mais agitada a água, mais o mosquisto Aeds Aegypt Ninja se reproduz! Ou seja, a água não pode ficar nem parada e nem em movimento, aqui você pega dengue de qualquer jeito, amigo! ¬¬'
2. "Os aluguéis aqui estão mais elevados do que em São Paulo."
Na boa, O que esses caras que vem pra cá só ganhar dinheiro querem mais ? A cidade está em pleno desenvolvimento e essa é uma das maneiras de se aproveitar isso, afinal, "Toda semana tem alguém desesperado batendo na porta em busca de casa para morar", é a lei da oferta e da procura meu amigo, princípio básico da economia! Se precisam de moradia e mesmo reclamando podem pagar, que cobrem caro mesmo! Quer comparar com SP,ok. Então relembremos o tamanho da cidade. Quando essa Eliane Brum fala em locais distantes do centro, devemos lembrar que o bairro mais periférico de Porto Velho é o Ulisses Guimarães e que, de carro, não se leva meia hora até o centro. E daí que a casa é longe do centro e o aluguel é "caro"? Porra, a cidade é um ovo, meu pai ! Enquanto isso a jornalista maluca compara a maior cidade da América Latina, com 450 anos de história, com a nossa menina Porto Velho, uma moça, com menos de um século! Sr. Engenheiro,você não vai gastar gasolina como gastaria em São Paulo e nem vai precisar sair 3 horas antes pra chegar ao local do trabalho[apesar do trânsito estar pior do que nunca.Mas nada, nadinha comparado a SP, já que a Eliane quer comparar...]
Portovelhenses que tem prédio pra alugar, botem caro no rabo desses caras que pensam que virão aqui e não deixaram dinheiro em nossa cidade!

Lembrando que os mais afetados com o aumento dos aluguéis, assim como nos materiais de construção, compra de imóveis, enfim, tudo isso que se relaciona, atinge muito mais a população local do que aos recém-chegados! Ou seja, quem está sofrendo com isso somos nós! E o motivo? A SUA CHEGADA. SR. Engenheiro! A sua chegada e a chegada de outras centenas de pessoas que para cá vieram. Realmente, não temos estrutura para acomodar toda essa gente e estávamos cientes disso! Assim como estamos cientes, pelo menos os sóbrios, e realistas ,de que essa situação tende a piorar! Mas vai piorar para nós principalmente! E não para você e sua família, já que você só pretende passar 7 anos aqui. Vem, esculhamba e desordena tudo e vai embora! E aí quem sofre ? NÓS! Pois pare de cuspir no prato que está comendo, sra. dondoca-dona-de-casa !

3.“Meu marido não me contava a verdade quando falava comigo por telefone”, conta Andrea Rocha Izac, de 37 anos, três filhos. “O bicho é muito mais feio do que eu pensava. Acho que meu marido tinha medo que, se contasse como era, eu não viesse. E ainda nem sei se vou conseguir ficar!”
Se seu marido é mentiroso problema é seu! Se ele preferir ficar desempregadao lá, em Cuiabá, vá e seja feliz! Tenho certeza que não vieram pra cá fazendo favor pra ninguém! É com o salário do trabalho feito aqui que você deve estar se alimentando! P@#$! Bando de reclamões! Como disse a Lolita, Rondônia foi feita por pessoas que queriam somar! E não de gente que queria vir aqui, ganhar dinheiro e se picar! Não que esse Eng. queira fazer isso, imagina! Eu jamaaaaaias insinuaria algo desse tipo! [coff coff]. Afinal, ele é só um engenheiro bonzinho, boa pessoa que veio aqui simplesmente para ajudar nas obras e não foi bem recebido. TADINHO! Estou até pensando se ele não é um voluntário na construção ds hidrelétricas! De tão bonzinho que é!
Acham mesmo que se não compensasse vir para cá eles teriam vindo ? Jura né ? Isso é papo de dondoca desocupada!

4. A floresta desmatada é um eco também ali. Diferente de outras capitais amazônicas, quase não se veem índios.
P&#A QUE P!$*U! Essa foi uma das piores. Acho que essa Eliane Brum nunca viajou pelo norte do país, ou então disseram pra ela que "Cinta Larga" é a capital de Rondônia, e Porto Velho é só um distrito. Minha amiga, moro em Porto Velho, já morei no interior de Rondônia, já viajei para as capitais do Acre e do Amazonas, e, me perdoe, mas você está completamente maluca ao insinuar que os índios andam por aí normalmente! Em Manaus foi onde percebi pessoas com feições indígenas mais acentuadas, mas eu não tenho o "indiozômetro" pra saber quem é índio e quem não é. Uma coisa são pessoas com traços indígenas e outras coisas são índios! Os índios hoje andam é de Hillux, vidro fumê e ar condicionado. Você não vai messsssssmo vê-los "andando" por aí! Fazendo Uga Uga muito menos! Se duvidar eles vestem até Colcci, CK, e as indiazinhas Planet Girls! Esse papo de índio andando na rua é coisa de gente que não conhece o mínimo da cultura nostista, não conhece os nortistas e nem o norte! [...]
"A floresta desmatada é um eco ali também" Putz,Eliane Brum! Realmente, as matas em São Paulo e em Cuiabá são uma coisa de preservadas, nós rondonienses morremos de inveja,HUMPF!!

Olha só quanto são preservadas as florestas do Mato Grosso! Estou aqui, pasmada com a preservação das florestas do MT. Que exemplo de Estado, que exemplo!

5.A educação, para quem pode pagar, é cara. Para quem não pode, há risco de ficar sem.
Bom, dona Eliane Brum, se isso é verdade isso é matéria pra denúncia e não pra reclamaçãozinha de dondoca-dona-de-casa esposa de engenherinho agrônomo que deve ganhar uma nota preta por aqui!
A educação pra quem pode pagar VARIIIIIIIA. Afinal, os filhos delas devem etar estudando no Classe A, pra ele reclamar do preço. Mas o Classe A é considerado um dos melhores colégios da região NORTE! Ou seja, ele é bem melhor do que muito colégios de Cuiabá. E o Classe A eu sei que é bom, agora, sei lá em que raio de colégio os filhos desse engenheiriiiinho reclamão estudavam lá em Cuiabá, cara! E se não for no Classe A, pois realmente não posso afirmar isso, tesmo ótimos colégios, bons colégios e razoáveis colégios particulares. O bolso manda! Se eu não tenho dinheiro pra colocar meu filho no Classe A, eu coloco ele num médio , se ainda não dá, coloco no razoável! Agora, se você não é capaz de controlar as despesas e não pode pagar um bom colégio e insiste nisso, cara, o problema é seu! Lembrando que o preço dos colégios aqui sempre foi esse! Principalmente com o marketing e melhoria de certas escolas particulares qeu aqui existem! Existem bem mais Pais Portovelhenses pagando o mesmo tanto por esse colégio do que Pais de famílias reclamonas recém chegadas.
Sobre essa questão de déficit na rede pública eu não vou comentar, nem pró e nem contra porque nunca ouvi falar disso, mas se você tivesse escrito sobre esse tema, Eliane Brum, ganharia novos e admiráveis leitores portovelhenses ! O que não é o caso. E também não acredito que queira, não é? Afinal, pra quê um leitor em Porto Velho ? ;)


6. "Porto Velho é uma cidade que tem a história tatuada na geografia urbana. Quase não há árvores nas ruas esburacadas, mesmo no centro, o que torna o calor ainda mais opressor. "
KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK, CUIABÁ É UM FRIO DA MULÉSTIA NÉ ? QUASE POA, QUASE FLORIPA, MEU PAI ETERNO, DA ÚLTIMA VEZ QUE ESTIVE EM CUIABÁ SÓ USEI MEUS CASACOS DE LÃ! Que infeliz este comentário, srta. Eliane Brum, que infeliz! Qualquer pessoa que saiba da existência de Cuiabá pode afirmar que quem mora lá não pode reclamar de calor em lugar algum.Porto Velho é quente ? MUITO! Mas Cuiabá TAMBÉM é! Inclusive, o Inferno pra moradores de Cuiabá, Porto Velho e Manaus deve ser frio, já que o objetivo do inferno é fazer as pessoas sofrerem. Se o inferno pra nós for quente, vai dar na mesma! [haha].

7.“É tudo muito feio, muito sujo e muito caro."
Sabe o caminho por onde veio ? Então deve saber voltar por ele também!
A porta da rua é serventia da casa, meu bem!
E finalizo os tópicos por aqui, porque este o tópico é o sete, e eu estou no meu sétimo andar.

Eliane Brum, sinto em informar que você foi muito infeliz ao escrever esta matéria de lixo! Qualquer leigo ou projeto de jornalista que leia isso "ar de fofoca" contido nessa matéria. De verdade, estou pensando até agora que você, Eliane Brum, é a filha do Engenheiro ou uma amiga muito íntima que ficou triste pela família Izac e resolveu escrever essa materiazinha, afinal, nada lhe custaria!

Porto Velho tem problemas ? MUITOS! Inclusive estamos entupidos de carros de engenheiros agrônomos que vem pra cá ganhar dinheiro e aí o trânsito está uma procaria, pois antes de começarem a contruir as hidrelétricas deviam ter investido nisso, mas não o fizeram. O serviço de transporte está caro e sucateado, mas a população que quer construir corre atrás de soluções e não fica só reclamando em revistinha de circulação nacional que tem um público alvo e uma política, digamos,dubitável...
A matéria está com cara de que "A tia a prima do vizinho da sobrinha de um amigo meu me contou que PortoVelho..." E aí deu isso!

Apesar de tudo, Eliane Brum, a matéria foi válida para que: ESPERO QUE, AO LER ESTA MATÉRIA, O NÚMERO DE FAMÍLIAS DE "ENGENHEIROS AGRÔNOMOS" QUE AQUI QUEREM SÓ GANHAR DINHEIRO desistam dessa ideia, e antes permaneçam em suas cidadezinhas a vir aqui se não for pra construir!

Afinal, aqui é tudo muito feio,sujo e caro!

Também espero sinceramente que ter sido uma jornalista infeliz nessa matéria lhe tenha rendido uma boa grana para satisfazer os interesses de outrem, porque é assim que nosso jornalismo "a nível nacional" funciona, a gente sabe.Talvez lhe perdoe, talvez não. Pelo menos descubri em mim uma Portovelhense de mão cheia através dessa matéria. Lembro também, que aos que migram para cá, saibam que vocês precisam muito mais de nós do que nós de vocês! E os que daqui não gostam, saibam que nós não gostamos de vocês! E aos que aqui enxergam uma vida melhor, sabem e admitem isso, sejam bem-vindos!


Enquanto centenas de famílias ribeirinhas estão sem saber pra onde ir, pois serão retiradas do lugar de onde sempre viveram por causa dessas hidrelétricas, enquanto a gente tenta se conformar com essa situação de Porto Velho sendo INVADIDA por imigrantes que vieram só para explorar, enquanto temos muito o que resolver e com o quê se preocupar, Eliane Brum escreve matérias que atingem o público nacional a respeito de reclamação de mulher-dondoda-dona-de-casa de Engenheiro rico!
Nunca quis tanto esfolar um jornalista! E olha, nem de Diogo Mainardi conseguiu me irritar tanto!
Parabéns,[VÍDEO] Eliane Brum! Espero que essa matéria entre numa das suas listas de erros, !
[no vídeo cara de fumo aqui tomo um chá, e uma cara de sinica do carai! ]

Era só o que me faltava!

Um beijo pra quem leu tudo! =*



9 comentários:

Mounna disse...

Assino em baixo e rubrico cada um dos tópicos.
SE bem que eu não conheço PVH pra dizer se é bom ou ruim. Eu só sei que prefiro meu bom e velho Guajará!
.
Mas se achou ruim, dona Andréa, vá embora.
Beijos pra você e seus filhotes.baibeee.
.
PrihMeuOrguio!

Lolita disse...

Prih querida!

Veja só o quão bairristas somos e não sabíamos né?
Mexeeeeeeee com nossa terrinha de novo pra ver!!!!!!!!!
Adorei oq escrevestes!!!! Tá mais que correta!
O caminho da ida é o mesmo da vinda!
Tá insatisfeito? Dá meia hora de bunda e pega um avião!!!!!!!!!

Bjos a ti guria!!!!!!!

JaqueFonseca; disse...

Confesso que não li o seu post completo. ok ok.. não li! li um pouco de cada tópico apenas.
Não concordo totalmente com ela, mas não discordo também.
Assuma que aqui é sujo em vááárias partes e não há lá grandes vantagens entre Sus e hospital particular. A Espera é quase equivalente. Já rolou altas vezes de eu ir ao 9 de julho por estar com febre e dor no corpo e quando eu fui atendida já tinha até passado. Rolou com a minha irmã de ela estar com os mesmos sintomas e ser atendida quase na hora lá no Ana Adelaide.

Eu não entendi exatamente o que você tem contra Cuiabá. Assumo contigo, a mesma posição que você assumiu quanto à escritora de tal coluninha. Eu sou de Cuiabá, e embora ame de paixão Porto Velho, eu Adoro também Cuiabá que é uma cidade linda, tem ótimos colégios - que nunca poderiam ser comparados ao Classe A (que é um dos melhores da região norte segundo você mesmo diz) porque Mato Grosso fica na região Centro - Oeste, logo não pode (não nessa modalidade) competir com qualquer instituição educacional do norte do país. Entre outras coisas que eu poderia despejar (como você fez) mas não tô empolgada pra esse tipo de crítica hoje.

Relaxa cara, cada um tem um ponto de vista. Ame seu lugar e deixe os outros pensarem o que for. 'Cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é', ame as delícias, mas aceite as dores também. Tudo faz parte do pacote.

Amigas?! :P

Mr. River disse...

Olá Priscila!
Muito obrigado pelo seu comentário!
E quero parabenizá-la por esta detalhada análise daquela "porcaria" (desculpe o termo) de reportagem intitulada: A cidade que não estava lá.
Fico demasiado contente que a juventude portovelhense reaja à esse insulto degradante que ofende a imagem de Porto Velho e de todos nós que amamos essa cidade.

Abçs!

Thalyta França disse...

PQP

BR 364 disse...

Perfeito comentário! Assino em baixo!

Já que neste blog percebo que estou entre rondonienses de corpo, alma e coração, como eu, aproveito pra divulgar aqui minhas fotos de cidades de Rondônia:

http://www.flickr.com/photos/br364/

Sintam-se a vontade pra divulga-las por onde bem entenderem (desde que divulgado o autor, claro... =D )

Grande abraço!

A. Fernandes disse...

Olá, Priscila!
Primeiro, desculpe a demora em atender seu convite aqui.
Li seu texto algumas vezes e até rascunhei um texto sobre isso, talvez um dia vire post. Resolvi ser um pouco mais conciso aqui.

Nós, que vivemos em cidades fora dos grandes centros, marginais, nesse sentido, de vez em quando sofremos com esse tipo de abordagem a respeito da nossa região. Muito coisa sai na grande imprensa sobre todas as cidade do Brasil, coisas positivas e negativas. O problema é que, como se fala pouco da gente, quando uma crítica negativa como essa matéria (até depreciativa) ganha repercussão, ficamos putos e nossos brios são inflamados. Sentimos necessidade de combater os insultos.

A sensação que eu tenho a respeito desses jornalistas que resolvem escrever sobre nós, marginais, é que eles tentam nos mostrar como diferentes do público alvo principal deles: o centro-sul. Afinal, de nada adianta eles mostrarem a Amazonia, por exemplo, no que ela tem de parecido com o resto do país: eles tentam buscar o diferente, ás vezes até o esquisito. E isso se torna uma armadilha: ou nós vivemos num lugar idílico, o paraíso na terra que os interesses humanos estão destruindo, ou somos o inferno, dos mosquitos às doenças, do subdesenvolvimento à ingorância. Infelizmente, esse enredo maniqueísta vendo jornal, as pessoas estão mais aptas a enquadrar a realidade nesse polos estereotipados. O equilibrio, fundamental ao bom jornalismo, se perde e o resultado são matéria como essa, em que se percebe uma clara tentativa de pintar Porto Velho como um inferno. É sensacionalista, é dinga de imprensa marrom.

Isso a principio, claro. Sempre há a possibilidade de haver interesses político-economicos por trás. Isso é muito comum. Além de vender jornal e revista, as empresas têm outras formas de ganhar dinheiro. Quem sabe essa matéria não esteja por trás de alguma picuinha política? É bom investigar.

No mais, esteja certa: belém e porto velho são muito maiores que a opinião de uma jornalista da época.

Abraços e obrigado pela atenção.

Letrinhas juntas disse...

Então se a questão e a cidade de onde se vem, posso falar com propriedade sobre o que Eliane relata sobre Porto Velho. Venho de belo horizonte, minas gerais e nao tenho previsões para deixar PVH. Concordo com o cenário apresentado pela jornalista, e fato a especulação imobiliária querer arrancar o couro do recem chegados. A cidade nao chega perto de ser limpa, tem sujeiras e buracos por onde se olha, vermelho terra e a cor predominante, como encardido. Contudo, as criticas vieram com a intenção de melhorar uma capital de nosso pais. O que os moradores ou estrangeiros deviam fazer era vestir a camisa da cidade e lutar para sua melhora e abandonar o veu de coitadinhos, injustiçados ou de dondocas encarceradas em ambiente hostil. Isso aqui e Brasil e tem de se parecer com tal e sendo nascido Brasileiro tem o direito de estar em PVH. No lugar de reclamar os porto velhences deviam lutar para que as autoridades nao deixem que o melhor ponto da cidade seja o aeroporto. Exercer seu poder através do voto certo, voto em pessoas que amem a cidade e desejem faze-la parecer com uma capital!

diariotiao disse...

CONHEÇO A ELIANE BRUM. ACHO ÓTIMA PESSOA,EXCELENTE JORNALISTA.
NÃO ENTRO NO MÉRITO DA MATÉRIA SOBRE SUA CIDADE, MAS DEVO ADMITIR.VOCÊ TEM POTENCIAL.
SAIR EM DEFESA DA SUA TERRA ASSIM COM TANTO EMPENHO E PASMEM,IRADA COM TUDO QUE FOI DITO.
GOSTO DE PESSOAS DE ATITUDE,JOVEM VOCÊ TEM FORÇA RELAMENTE. PARABÉNS.