sexta-feira, 22 de abril de 2011

Gosto!

da minha incapacidade de êxpor. da minha vontade de dizer, das palavras que não digo.
do que meus olhos querem ver.

de cada olhar que guardo sem razão. de cada brilho refletido em íris minhas.
de cada partida, de cada parto, de cada parte.

de cada gosto, de cada rosto, de cada sorriso.
seu

de cada gesto, de cada medo.
que tento infinitamente,

provar. com meu paladar.
pra você.

2 comentários:

putfireman disse...

exatamente isso.
brilhante.

Antonio Tariano disse...

Explêncido, ótimu, me indentifiquei com esse texto.